7 de set de 2015

Abandone a Dor


Infelizmente a DOR ainda continua sendo o mestre na vida de muitas pessoas.
Enquanto a sua vida está dentro de uma normalidade, sem grandes problemas, não há motivo aparente para procurar por mudanças.  Mas quando acontece algo que choca a sua realidade, você se vê obrigado a mudar.
É como se você recebesse uma intimação da vida – ou você muda por bem ou por mal. Quer dizer, você não tem outra opção senão a mudança.

A DOR pode ser uma doença,  uma decepção amorosa, ou uma demissão. Ou seja, é sempre algo que tira o seu chão, a sua sensação de segurança e normalidade.
No primeiro instante você se desespera. A sua cabeça ferve com pensamentos, criando situações imaginárias, na maioria das vezes catastróficas, porque o medo tem o poder incrível de transformar uma insegurança num verdadeiro filme de terror.

Passado o choque do primeiro instante, a tendência é pensar racionalmente e procurar por soluções. E  nessa busca, você vê que outras pessoas já passaram pelo mesmo problema que o seu, e que elas – ao seu modo e ao seu tempo, conseguiram os resultados desejados. Uma luz no final do túnel.

Então você parte para ação, começa a fazer as mudanças que precisa. Se o seu problema for  saúde, você vai buscar um estilo de vida que propõe o equilíbrio necessário para recupera-la. Muda de alimentação, faz exercício e busca a conexão com Deus.

Se for uma decepção amorosa – traição ou separação, você se vê obrigado a aceitar de que relacionamentos podem não ser eternos. Que as pessoas fazem parte da nossa vida por um tempo determinado para nos ensinar algo, por mais que você seja um “iluminado” e pense que não há mais nada a aprender.

Se for a demissão de um emprego, não há outra maneira senão procurar por outro ou então seja a oportunidade que a vida te deu para testar a sua coragem de finalmente empreender algo que tanto quis e que não teve a chance de fazê-lo porque estava ocupado demais trabalhando para os outros.

Depois que você faz essas mudanças, você se torna um pouco mais consciente, amadurece e se sente bem. Quando tudo parece estabilizado, você entra num estado de calmaria novamente. É aqui nessa fase que você é TESTADO. Sim, testado!

Os “deslizes” que fizeram com que você adoecesse, começam a te testar, assim como o seu comportamento dentro do novo relacionamento afetivo ou no novo emprego. 
Se você não foi capaz de aprender com as experiências passadas, você não vai passar no teste, vai se auto sabotar e não vai conseguir manter-se na tão desejada nova realidade, ou seja, a saúde perfeita, o relacionamento perfeito e o trabalho perfeito. O perfeito é aquilo que você almeja como sendo o ideal para ser feliz.

Agora, se a sua dor foi grande o suficiente, e você realmente compreendeu que os velhos hábitos que levaram ao sofrimento, não fazem mais parte da sua vida, você então passará no teste, não vai mais cometer os mesmos “erros”. E ao passar pelo teste, você se sentirá vitorioso e conseguirá  se manter na nova realidade, saúde perfeita, relacionamento perfeito, trabalho perfeito.

Depois que aprendemos uma “lição”, não precisamos mais repeti-la e conforme amadurecemos, compreendemos que a dor teve uma grande função, a de despertar a nossa consciência para uma vida mais equilibrada e feliz. É um paradoxo, mas é assim que funciona. 

Com o tempo, optamos crescer pela consciência e não mais pela dor. E é isso o que mais tenho ouvido nas canalizações do Registro Akáshico, que já é hora de abandonar a dor.

A dor serviu e ainda servirá para muitos. Mas quem sabe, não seja mais necessário para você?

Conheça a Leitura do Registro Akáshico.
Será uma honra traduzir a mensagem dos seus Amparadores Espirituais.
Gratidão, Paz e Luz
Eu Sou Rosangela Matsushita
Terapeuta Akáshica a serviço do Bem Maior
Este texto foi escrito por Rosangela Matsushita
Se for compartilhar, por gentileza dê os créditos

.